Gastroenterologia Veterinária

A gastroenterologia veterinária abrange o bom funcionamento e as afecções de esôfago, estômago, intestino, fígado, pâncreas e vias biliares. Essencial à saúde dos pacientes, essa especialidade vem crescendo no mercado da medicina veterinária.

As doenças que acometem o trato gastrointestinal em geral causam secreção excessiva de substâncias, dificuldades de deglutição, de digestão e absorção de nutrientes, além de infecções (fúngicas e bacterianas), inflamações, alterações neuromusculares das estruturas adjacentes e alterações metabólicas que lesionam e alteram o funcionamento dos sistemas gastroentérico e hepato-bilio-pancreático.

O fígado, pâncreas, baço, vesícula biliar e estomago são órgãos secretores de substâncias e hormônios, que determinam ações e reações cujo desequilíbrio pode causar doenças (ex: gastrite, pancreatite, hepatite ou hepatopatias crônicas, colangite, colangio-hepatite, mucocele, doença inflamatória intestinal, linfangiectasia, diabetes etc.), além de possibilidade de comprometimento por células neoplásicas que determinam também a alteração nessas secreções (ex: linfoma. insulinoma etc). Deve-se ter em mente que outras doenças (hormonais, oncológicas, virais, infecciosas e processos iatrogênicos por uso errôneo ou excessivo de medicamentos) também podem levar a doenças secundárias hepáticas e pancreáticas.

Animas com alterações nesses órgãos terão como sintomas um ou mais dos seguintes: vômitos, regurgitação, diarreia ou fezes amolecidas, constipação, icterícia, dor abdominal, alteração na cor da urina, perda de apetite ou aumento da ingestão de comida, perda ou ganho de peso, perda de massa muscular , aumento da ingestão de liquido, ascite, dilatação abdominal ou gástrica etc.

Exames laboratoriais como: hemograma, TGO ou AST, TGP ou ALT, GGT, fosfatase alcalina, colesterol, triglicérides, lipase específica, tripisinogênio, proteína total e albumina, bilirrubina total/direta e indireta, glicemia, urina 1, parasitológico de fezes; além de exames de imagem (ultrassonografia, endoscopia e ressonância magnética) e exame hormonais. Esses exames ajudam a obter um melhor diagnóstico.

As doenças podem ser tratadas e serem evitadas se diagnosticadas precocemente, por isso a importância de termos o conceito de medicina preventiva.

Muitas vezes, as doenças relacionadas ao trato gastrointestinal são subestimadas e tratadas inicialmente com pouca efetividade, levando, caso não se descubra a causa de base, a um comprometimento importante do paciente (cronicidade), o que dificulta o sucesso do tratamento posterior.

Em caso de suspeita de doenças nesse sistema, procure um gastroenterologista.